Leonardo Reale

Fundador / Diretor Geral

Currículo

Desde 1995 integra o Balé Estável do Teatro COLON, intervindo no extenso repertório da Companhia e assumindo papéis de "Solista" e "Primeiro Bailarino".
Ele já foi convidado inúmeras vezes para Galas Internacionais: Festival Internacional de Miami (EUA), Uruguai, Cuba, Venezuela, Portugal e Itália. Em 2004, o “Premio Clarín” lhe concedeu o Prêmio Revelação como o melhor dançarino e em 2009, nomearam sua obra "Bastones Dorados" como a melhor coreografia.
Também foi homenageado com o Diploma de Honra do Círculo de Amigos do Gran Teatro de Havana pela sua atuação no 19º Festival Internacional de Havana em Cuba.
O Correio Argentino utiliza sua imagem para ilustrar o Selo Postal que comemora o Centenário do Teatro Colón, premiado na Áustria durante o Concurso Yehudi Menuhin.
Também foi nomeado como Diretor Artístico do Balé Metropolitano de Buenos Aires desde o ano de 2004 até os dias de hoje. Ele já percorreu o interior da Argentina, Chile, Uruguai, Colômbia e Rússia (país onde também realiza trabalhos coreográficos especialmente criados para a Companhia, como por exemplo, a "Pampa Universal", "Pañuelos del Viento", "Tiempo Opuesto", "Bastones Dorados").
Foi professor convidado durante os anos de 2014, 2015 e 2016 do Balé Contemporâneo do Teatro San Martín, dirigido por Mauricio Wainrot.
Dirigiu a primeira Gala em homenagem à Primeira Bailarina do Balé Real, Marianela Nuñez. Relizado na Argentina em 2014 e organizado pelo município de San Martín no Estádio do Clube Alemão. Também foi convidado como coreógrafo para montar suas criações no Balé Oficial de Córdoba (Valsas de Viena e Bastones Dorados) do Teatro Argentino de La Plata (Suíte Taurina) e no Balé Oficial da Província de Tucumán (Tangos del Plata e Bastones Dorados).
Suas diversas coreografias foram executadas pelos primeiros bailarinos do Balé Estável do Teatro Colón, Teatro Argentino de la Plata, Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Companhia Nacional de Dança do México, Balé de Salzburgo em Viena e Balé SODRE de Montevidéu.

Em 2014, estreou seu trabalho “Tangos del Plata” na II Gala Latina Internacional do Teatro del Lago na cidade de Frutillar no Chile dirigido por Marcia Haydée. Com o patrocínio da Fundação KONEX, juntamente com o Juan Lavanga, criou as obras infantis "Quebra-Nozes e Princesas Encantadas" de 2011/12/13/14, além de "Pinóquio e Coppélia no Mundo Real" em 2013. Ambos espetáculos foram nomeados como melhor trabalho infantil pelo Prêmio ACE: O lago dos Cisnes e Princesas Encantadas de 2015 e 2016.
Ele é o Criador e Diretor Geral do "Encontro Dançar pela Paz" que reuniu as mais prestigiadas Companhias da Argentina para dançar pela Paz e a Não-Violência no Teatro Nacional Cervantes em 2014. Dado o sucesso obtido na festa de gala de 2015 e também de 2016 com duas apresentações beneficentes em prol do UNICEF.
No decorrer deste ano, juntamente com sua Companhia, realizou uma temporada de apresentações com a casa cheia, apresentando o espetáculo Quebra-Nozes e Princesas Encantadas no Teatro Coliseu. Além disso, também criou sua obra "Scherezade" para as Galas da Marianela Nuñez, 1ª Bailarina do Balé Real de Londres e sua obra "Insensatez" para os 1ª Bailarinos, Cláudia Mota do Balé Municipal do Rio de Janeiro e Federico Fernandez do Balé do Teatro Colón.
Ele foi convocado como jurado na semifinal do Valentina Kozlova VKIBC de Nova York em Missiones. No mês de agosto deste ano, ele foi distinguido como "Personalidade de Cultura Excepcional" pela Legislatura da Cidade Autônoma de Buenos Aires, de acordo com a Lei 5594. Recentemente, seu trabalho “Bastones Dorados” foi apresentado no 25º Festival Internacional de Havana em Cuba pelos membros do Balé de Buenos Aires, dirigido por Federico Fernandez.